Tireoide

O hipertireoidismo é uma condição na qual a glândula  tireoide é hiperativa e produz excesso de hormônios tireoidianos. Se não tratado, o hipertireoidismo pode implicar em graves distúrbios neurológicos (alterações cognitivas, como memoria e concentração, doença do pânico e depressão). Alguns dos mais graves efeitos do excesso de hormônios tireoidianos envolvem o coração (batimentos cardíacos acelerados e irregulares, insuficiência cardíaca congestiva) e os ossos (osteoporose). Pessoas com hipertireoidismo leve e os idosos podem não ter qualquer sintoma.

O que é a glândula tireoide?

A glândula tireoide está localizada no pescoço, logo abaixo de sua laringe (cordas vocais). Ela produz dois hormônios, triiodotironina (T3) e tiroxina (T4). O T3 e o T4 são levados através do sangue para todas as partes do corpo, onde eles que regulam o metabolismo de todas as células, que é a maneira como o seu corpo usa e armazena energia. A função da  tireoide é controlada pela hipófise, uma pequena glândula localizada na base do cérebro. A hipófise produz o hormônio estimulante da  tireoide (TSH), que induz a  tireoide a produzir T3 e T4.

Sinais e sintomas de hipertireoidismo

- Sensação de calor
- Aumento da transpiração
- Fraqueza muscular
- Mãos trêmulas
- Batimentos cardíacos acelerados
- Cansaço / fadiga
- Perda de peso
- Diarreia ou evacuações frequentes
- Irritabilidade e ansiedade
- Problemas dos olhos, tais como irritação ou desconforto
- Irregularidade menstrual
- Infertilidade.

O que causa o hipertireoidismo?

A Doença de Graves é a causa mais comum de hipertireoidismo. Ela ocorre quando o sistema imunológico, através da produção de uma anticorpo contra o receptor de TSH (TRAb) ataca a glândula  tireoide, provocando seu aumento, estimulando a síntese e secreção de T3 e T4 em grandes proporções. É uma doença crônica (que se mantem a longo prazo) e normalmente ocorre em famílias com história de doenças da  tireoide. Algumas pessoas com a doença de Graves também desenvolvem inchaço atrás dos olhos, o que provoca protrusão dos para fora do globo ocular (proptose); doença conhecida como Oftalmopatia de Graves.

As causas menos comuns de hipertireoidismo incluem:

  • Nódulos tireoidianos: tumores na glândula  tireoide, que podem secretar excesso de hormônio tireoidiano.
  • Tireoidite subaguda: uma inflamação dolorosa da  tireoide tipicamente causada por vírus.
  • Tireoidite linfocítica: uma inflamação não dolorosa causada pela infiltração de linfócitos (um tipo de célula branca do sistema imune) na tireoide.
  • Tireoidite pós-parto: tireoidite que se desenvolve logo após o término da gravidez

Como o hipertireoidismo é diagnosticado?

O seu médico fará um exame físico detalhado e solicitará exames de sangue para medir seus níveis hormonais. Você tem hipertireoidismo quando os níveis de T4 e T3 estão mais elevados que o normal e o nível de TSH está menor que a referência.

Para determinar o tipo de hipertireoidismo que você tem, o seu médico pode solicitar um exame de captação de iodo radioativo para medir quanto iodo sua  tireoide absorve do sangue. A  tireoide usa iodo para produzir T3 e T4. Seu médico também pode solicitar uma imagem de sua  tireoide para ver a forma, tamanho e se existem nódulos.

Como o hipertireoidismo é tratado?

O tratamento do hipertireoidismo depende da causa, da idade, da condição física da pessoa e de quão sério é o seu problema de  tireoide.

Os tratamentos disponíveis incluem

  • Medicamentos antitireoidianos - Essas drogas diminuem a quantidade de hormônio produzido pela  tireoide. A droga preferida é o metimazol. Para as mulheres grávidas ou lactantes, o propiltiouracil (PTU) pode ser preferido. Como o PTU tem sido associado a efeitos secundários, ele não é utilizado rotineiramente fora da gravidez. Ambas as drogas controlam, mas podem não curar o hipertireoidismo e em baixas doses podem ser utilizadas por longo período.
  • Iodo radioativo - Esse tratamento cura o problema a  tireoide, mas geralmente leva à sua destruição permanente. Desse modo, o paciente precisará tomar comprimidos de hormônio tireoidianos para o resto de sua vida para manter o hipotireoidismo produzido pelo iodo radioativo.
  • Cirurgia - A remoção cirúrgica da  tireoide é uma solução permanente, Recomenda-se a cirurgia, quando o metimazol ou terapia com iodo radioativo não são apropriados. Também na presença de nódulos suspeitos de malignidade.
  • Betabloqueadores - Essas drogas (tais como atemo-lo) não baixam os níveis de hormônio da  tireoide, mas podem controlar sintomas graves, como a frequência cardíaca acelerada, tremores e ansiedade.

A boa regulagem hormonal evita doenças endócrinas

Especialidades

UMD

Av. Indianópolis, 530
Indianópolis - São Paulo - SP
CEP: 04062-000

Tel: (11) 5053-8999

Responsável Técnico

Dr. João H. Romaldini
CRM: 13736
Endocronologista

UMD Resultados

Obtenha seus exames de maneira prática e rápida através de nosso sistema online.

Clique aqui para acessar a área de resultados da UMD.