Tireoide

Câncer de tiroide é o mais comum dos canceres das glândulas endócrinas, que produzem hormônios. O câncer de tiroide ocorre quando nódulos crescem no interior da glândula. Estes nódulos normalmente são benignos e em cerca de 5% deles se diferenciam em nódulos malignos.

Nódulos da glândula tiroide são células, no interior do folículo, que formam um tumor.

  • Mais de 90% não são lesivos a saúde, mas alguns podem ser malignos.
  • Pouco mais de um em 10 nódulos diferenciam-se em câncer
  • O diagnóstico de câncer é confirmado com um exame de biopsia com agulha fina ou analise do nódulo removido pela cirurgia

Câncer de tiroide é caracterizado por ter poucos sintomas

  • Um aumento da glândula tiroide ou do nódulo na região do pescoço, isolado ou durante tratamento.
  • Alteração na voz (rouquidão sem motivo).
  • Dores na região da tiroide ou da região cervical.
  • Presença de gânglios linfáticos na região do pescoço.

Diagnóstico

São uteis os exames de palpação da glândula tiroide, ultrassom, dosagens hormonais da função tiroideana, determinação sérica da tiroglobulina e calcitonina.

Tipos de câncer de tiroide.

Papilífero: O mais frequente (80% dos casos). Tem crescimento lento e desenvolve-se em um ou ambos os lobos da tiroide. Pode atingir os gânglios linfáticos.

Folicular: O segundo em frequência, relacionado com baixa ingestão de iodo e crescimento lento. Pode atingir os gânglios linfáticos.

Medular: Bem mais raro com provável associação familiar, facilmente atinge gânglios linfáticos e outros órgãos.

Anaplásico: Muito raro e bastante agressivo.

Riscos

  • Baixa ingestão de iodo
  • Idade entre 25 a 65 anos
  • Possui um familiar com doenças da tiroide
  • Exposição à radiação, principalmente na região do pescoço.

Tratamento

Os nódulos de origem maligna (câncer) devem ser efetivamente tratados e poucos são os pacientes que podem ir a óbito.

No câncer de tiroide o tratamento inicial é a cirurgia total com remoção da glândula tiroide

Iodo radio ativo nos casos de câncer Papilífero e folicular. Utiliza-se uma dose simples, única, por via oral. Diferente da radiação por outros tipos de câncer.

Levotiroxina deve ser usada pelo restante da vida.

Acompanhamento pelo medico especialista, com frequente analise da função da tiroide e nos casos de Papilífero e folicular com manutenção do TSH e tiroglobulina no soro suprimida. No caso do câncer medular a concentração de calcitonina deve ser o hormônio a ser controlado.

O ultrassom é o melhor exame de imagem no seguimento do câncer de tiroide

Fonte: Endocrine Society and Hormone Health network

A boa regulagem hormonal evita doenças endócrinas

Especialidades

UMD

Av. Indianópolis, 530
Indianópolis - São Paulo - SP
CEP: 04062-000

Tel: (11) 5053-8999

Responsável Técnico

Dr. João H. Romaldini
CRM: 13736
Endocronologista

UMD Resultados

Obtenha seus exames de maneira prática e rápida através de nosso sistema online.

Clique aqui para acessar a área de resultados da UMD.