Crescimento e puberdade

A puberdade atrasada é a ausência de desenvolvimento de mama em meninas após os 13 anos de idade ou o não aumento dos testículos em meninos após os 14 anos. Há também os casos em que início do desenvolvimento...

 

A puberdade atrasada é a ausência de desenvolvimento de mama em meninas após os 13 anos de idade ou o não aumento dos testículos em meninos após os 14 anos. Há também os casos em que início do desenvolvimento desses caracteres sexuais começa na idade certa, mas demora muito para evoluir ou não avança.

Quais as causas?

A causa mais frequente é constitucional, ou seja, não há doença, apenas uma variação daquele indivíduo, geralmente com história de familiares que também tiveram puberdade atrasada. Esses indivíduos costumam se apresentar com estatura mais baixa para idade e com o atraso do desenvolvimento sexual, mas que apenas deverão ser acompanhados, porque um pouco mais tarde que os demais terão crescimento e desenvolvimento puberal.

Doenças crônicas também podem ser causas do atraso. Por reduzirem a disponibilidade de substratos energéticos, doenças intestinais, anemias, doenças hepáticas, renais, cardíacas e desnutrição podem levar ao atraso puberal. De modo oposto, situações que levam a consumo energético excessivo como ocorre com atletas de alto desempenho também podem ser causa.

Como causa hormonal temos a ausência ou redução da produção hormonal seja pelo eixo cerebral que comanda os ovários e testículos ou pela incapacidade dessas glândulas produzirem os respectivos hormônios, estrógeno e progesterona ou testosterona. Na maior parte dos casos a causa é genética, mesmo que não haja história familiar, mas também pode ser devido a doenças adquiridas como tumores neurológicos, doenças autoimunes, infecções virais, radioterapia ou uso de medicações.

Prejuízos se não for feito tratamento

Nos casos em que há necessidade de reposição hormonal e ela não é feita, ocorrem danos físicos e emocionais.

Do ponto de vista físico, não há desenvolvimento de mamas nem crescimento uterino nas meninas e nos meninos há prejuízo no tamanho testicular e do pênis assim como poucos pêlos. Em ambos os sexos há grande risco dos ossos ficarem fracos uma vez que os hormônios sexuais são importantes para aquisição de massa óssea e isso ocorre maciçamente até os 18 anos de idade.

Do ponto de vista emocional, a imaturidade psíquica e física pode levar o indivíduo a não se sentir parte do grupo de colegas da mesma idade.

Como diagnosticar?

Adequado exame físico em consultas regulares, RX de idade óssea e dosagens hormonais. Testes genéticos e exames de imagem podem ser necessários em casos específicos.

Tratamento

Os casos constitucionais ou por doenças crônicas muitas vezes exigem apenas acompanhamento regular.

Quando é confirmada falência da produção hormonal deve-se tratar a causa de base e iniciar reposição hormonal com testosterona nos meninos e estrógeno nas meninas. A dose no início do tratamento é baixa e o aumento é progressivo, simulando a produção hormonal de um adulto. Nas meninas, após determinado tempo de tratamento é iniciado também o uso de progesterona para que ocorra o ciclo menstrual.

Fonte: Endocrine Society e Monte O, Longui CA, Calliar LE, Kochi C. Endocrinologia para o Pediatra. 3ª ed, São Paulo. Editora Atheneu, 2009.

A boa regulagem hormonal evita doenças endócrinas

Especialidades

UMD

Av. Indianópolis, 530
Indianópolis - São Paulo - SP
CEP: 04062-000

Tel: (11) 5053-8999

Responsável Técnico

Dr. João H. Romaldini
CRM: 13736
Endocronologista

UMD Resultados

Obtenha seus exames de maneira prática e rápida através de nosso sistema online.

Clique aqui para acessar a área de resultados da UMD.